A A

L’Oréal-UNESCO For Women in Science celebra 20 anos do programa e reúne cientistas do mundo inteiro em Paris

29 de março de 2018

A brasileira Rafaela Ferreira recebeu o International Rising Talents, categoria do prêmio, durante a celebração


As mulheres continuam sub-representadas na vida pública e profissional, particularmente na ciência. Hoje, em todo o mundo, apenas 30% dos cientistas são mulheres e 3% dos Prêmios Nobel da Ciência foram concedidos a mulheres desde que a premiação começou em 1901.  Em 2018, a Fundação L’Oréal e a UNESCO celebram 20 anos do programa internacional For Women in Science. “Existem muitas cientistas incríveis e dar visibilidade e reconhecimento para elas é fundamental para promover uma maior igualdade de gênero no universo científico”, declarou Danielle Nunes, Gerente de Comunicação da L’Oréal Brasil e responsável pelo prêmio no país.


Segundo dados da Fundação L’Oréal, o número de mulheres na área cresceu 12% em 20 anos, mas ainda há incidências de desigualdade de gênero. Em busca de medidas para melhorar o equilíbrio de gênero na ciência, as duas organizações premiam anualmente,  desde 1998, 5 renomadas cientistas – uma de cada região do mundo (África e países Árabes, Ásia-Pacífico, Europa, América Latina e América do Norte) – com uma bolsa-auxílio de 100 mil dólares. O prêmio já recompensou, incentivou e colocou sob os holofotes 102 cientistas em 20 anos. Duas delas inclusive foram posteriormente reconhecidas com o Prêmio Nobel: as Dras. Ada Yonath e Elizabeth Blackburn. Seis cientistas brasileiras fazem parte dessa lista: Mayana Zatz (2004), Lucia Previato (2004), Belita Koiller (2005), Beatriz Barbuy (2005), Marcia Barbosa (2013) e Thaisa Storchi Bergmann (2015).


2018, um ano especial para o prêmio


Esse ano foi celebrada a 20ª edição do  For Women in Science e uma semana intensa de atividades foi programada para as vencedoras, com uma cerimônia no último dia 22 e a presença de convidados importantes. Um dos principais objetivos do programa é, por meio do reconhecimento de suas contribuições científicas, estimular a participação feminina no ambiente acadêmico e científico – especialmente de áreas como matemática, física, química e ciências da vida.


Rising Talents: jovens cientistas de 5 regiões do mundo recebem bolsa de 15 mil euros


Desde 2014, o For Women in Science busca trazer ainda mais conexão entre os programas regionais e o programa internacional com a categoria Internacional Rising Talent. Todos os anos, são eleitas 15 cientistas de 5 regiões do mundo para receber uma bolsa de 15 mil euros. Todos os anos, desde a criação do prêmio, houve uma brasileira neste time de cientistas. Em 2018, entrou para essa lista Rafaela Ferreira, química reconhecida na edição de 2017 do Para Mulheres na Ciência.


Diário de bordo: a cientista Rafaela Ferreira conta mais sobre sua semana em Paris


Rafaela Ferreira, premiada pela com sua pesquisa sobre novos tratamentos para doenças de Chagas e o vírus da Zika, é uma das ganhadoras desta edição do International Rising Talent. Na semana de premiação em Paris, ela participou de diversas atividades, como um jantar na UNESCO, uma visita à Academia Francesa de Ciência e algumas entrevistas. Em uma delas, a cientista participou de uma live com a Revista Superinteressante. Toda a programação foi acompanhada pela youtube Jout Jout, conhecida no Brasil por tratar temas de empoderamento feminino, que gravou um vídeo que será divulgado no canal dela em breve.


Além da comemoração dos 20 anos do FWIS, o fim de semana do International Rising Talents conta também com uma série de minicursos, palestras e visitas que estão sendo documentados por Rafaela Ferreira, vencedora de 2017 do Para Mulheres na Ciência. 

Publicações relacionadas